Quando a nostalgia deixa marcas

Diante da foto da casa do médico inglês Dr. Edward Bach em Mount Vernon (Inglaterra), parece que flores perfumadas querem alcançar o céu! Agrupadas em cachos terminais caem como cascatas coloridas. A face externa de suas pétalas é vermelha ou pink forte e a parte interna é branca, e as flores durante a polinização ficam de cor amarela. Cientificamente chamada de Lonicera caprifolium, é popularmente conhecida como MADRESSILVA. 

Dentro da terapia Floral de Bach é a flor da nostalgia – Honeysuckle 

Paradoxo da Nostalgia 

A nostalgia pode ser um mergulho no passado, retirando dele as boas lembranças e todos os ensinamentos que ele proporcionou, tendo a certeza que a vida é um processo constante de mudanças e nada permanece igual. Para a maioria das pessoas as mágoas, tristezas e adversidades fazem parte do crescimento humano. Para outras, não! E nostalgia pode apresentar feridas do ontem que não se cicatrizaram. É quando a pessoa, por falta de mobilidade interna, perde sua capacidade de criar vínculos com o presente e com as pessoas que fazem parte do seu agora e se enfraquecem os fios invisíveis de conexão com a vida. O fluxo das forças vitais se torna antagônico, porque a pessoa está no presente, mas sua mente ficou no passado. Essa, portanto, é a pessoa que necessita do Honeysucle para que se liberte do passado para poder viver plenamente o hoje. 

CARACTERÍSTICAS DA PESSOA QUE NECESSITA DA ESSÊNCIA HONEYSUCLKE

Emocionais

 

Físicas 

 

FLORAL DA TERCEIRA IDADE 

Sim! O Hoheysuckle é o floral mais indicado a idosos que não conseguem metabolizar as vivências negativas do passado ou não conseguem descobrir no presente a ressignificação no processo do envelhecimento. A essência oportuniza descoberta de novos ciclos, com novas experiências gratificantes e adaptações às circunstâncias do seu momento presente. 

 

O  passado passou e não importa as falhas e erros. Ele terá ensinado sua lição sem que seja preciso recordá-la (Edward Bach)

 

Palavras-chave: Florais de Bach. Hoheysuckle (Madressilva). Passado. Memórias. Idosos.

Leia Tambem

Escrito por Dionezine de Fátima Navarro

Publicado em 2022-02-22

Tags

Sugerimos que você também leia estes