Entendendo o trauma Oclusal

Neste artigo falaremos sobre Trauma Oclusal, mas para isso precisamos entender o Ligamento Periodontal.  Os dentes estão fixados no osso através do Ligamento Periodontal. É como se fosse um amortecedor quando comparado a um carro (pneu = dente, carro = osso, amortecedor = ligamento periodontal). As funções físicas do ligamento periodontal abrangem: sustentação, transmissão das forças oclusais do osso, inserção dos dentes no osso, manutenção dos tecidos gengivais em suas relações adequadas com os dentes, resistência ao impacto das forças oclusais (absorção do choque) e provisão do "envoltório" de tecido mole para proteger os vasos e nervos das lesões produzidas pelas forças mecânicas.

Isso entendido, vamos à definição de Trauma Oclusal. Trauma oclusal é um termo usado para descrever alterações patológicas ou mudanças adaptativas que se desenvolvem no periodonto como resultado de força indevida produzida pelos músculos mastigatórios. Pode também se desenvolver através de hábitos parafuncionais como o Bruxismo ou interferências oclusais, podendo provocar danos aos tecidos periodontais, ATM (Articulação Temporo Mandibular), músculos da mastigação, polpa dentária e osso alveolar.  Alguns sinais e sintomas que ocorrem no trauma oclusal são: mobilidade dentária, dor dentária durante a mastigação e à percussão.

O trauma oclusal pode ser agudo ou crônico. A forma aguda é caracterizada por dor, mobilidade e sensibilidade dentária.  Já a forma crônica é mais comum e se desenvolve quando há alterações causadas por desgaste dental, mudança na posição do dente, extrusão dentária e em pacientes que apresentam hábitos parafuncionais como o bruxismo. 

Como hábitos parafuncionais temos: apertar e/ou ranger os dentes durante o dia e/ou à noite (Bruxismo); mascar chicletes; morder bochecha, lábios e língua; pressionar a língua contra os dentes; morder unhas/cutícula; roer objetos como lápis/canetas ou outros; chupar chupeta ou dedo. Esses maus hábitos podem promover um aumento da atividade muscular (hiperatividade muscular) e mudança na posição dos dentes, podendo assim causar o trauma oclusal.

Os problemas iniciais ficam na região periodontal: raiz dos dentes e gengivas, por exemplo. Além disso, dores musculares também podem aparecer. Depois, o trauma pode causar dentes sensíveis, desgaste nos dentes, trincas e até dentes quebrados.

O paciente chega ao dentista reclamando de dores na mandíbula, bochecha, dentes e gengiva. Os sinais mais comuns são:

Após a identificação do problema oclusal, o paciente inicia o tratamento com o cirurgião-dentista, que vai avaliar quais as repercussões do trauma oclusal, e assim definir a forma de tratamento e quais as especialidades envolvidas no problema. O tratamento para a condição é o ajuste oclusal, o qual busca harmonizar os aspectos funcionais. As especialidades geralmente envolvidas são: Periodontia, Odontologia Estética e a Ortodontia. 

 No tratamento ortodôntico, pode ser feito o uso de aparelhos ou placas para reeducar a mordida do paciente. Em casos mais complexos, também pode acontecer de o paciente fazer acompanhamento com um fonoaudiólogo para a reeducação da mastigação.

É imperativo que os profissionais compreendam os aspectos oclusais em todas as suas especialidades. Sem esta compreensão, o tratamento não será eficaz,  seja ele periodontal, restaurador, protético ou ortodôntico. E os pacientes devem procurar ajuda assim que detectarem os sinais acima citados, para que o tratamento seja efetivo e não ocorra maiores prejuízos ao indivíduo. 

 

Palavras-chave: Trauma oclusal – Parafuncionais – Ajuste oclusal.

Leia Tambem

Escrito por Cintia Baek

Publicado em 2021-12-15

Tags

Sugerimos que você também leia estes