Como é a leitura de manejo dos sentimentos na ótica da Análise Psicodramática

Emoções surgem de experiências e viver por si só já é uma experiência. Nós enfrentamos momentos felizes, momentos tristes, momentos inusitados e tudo isso promove algo dentro da gente. Assim sendo, as situações da vida exigem de nós uma resposta: nossos sentimentos. Eles estão presentes em todo processo de psicoterapia.

Ao abordarmos o assunto de psicoterapia, estamos citando algum tipo de tratamento, e quando abordamos manejo dos sentimentos, estamos falando sobre tratamento de sentimentos.

De acordo com Dias, Victor R.C.S (2015) ¹, embora os sentimentos façam parte inerente do ser humano e de seu psiquismo, eles frequentemente necessitam de algum tipo de procedimento psicoterápico. Pois, seja pela ação da moral ou por estarem vinculados a psicodinâmicas patológicas eles necessitam ser tratados.

Todos os sentimentos são ou foram importantes para a vivência e para a sobrevivência da nossa espécie. Portanto, entendemos que não existam sentimentos bons e sentimentos maus, mas sim, sentimentos mal administrados.

Dessa forma, os sentimentos nunca são patológicos na sua essência. Eles podem ser encarados como patológicos quando:

  1. Estão francamente em confronto com os valores morais de uma determinada sociedade, num determinado tempo.
  2. Estão misturados com angústia patológica.
  3. Estão vinculados a psicodinâmicas patológicas.

 

Vamos esclarecer alguns pontos importantes sobre valores morais e sentimentos na Análise Psicodramática. Entendemos como moral o conjunto normativo é variável para as épocas e para as culturas, e durante os últimos 6 mil anos foi ditado basicamente pelas religiões.

Com o advento do Deus único das religiões monoteístas, em substituição aos inúmeros deuses das religiões panteístas, o Código Normativo Moral também se tornou único. Esse Código Moral Único, entre outras coisas, acabou por separar os sentimentos em Bons e Maus. Dessa forma, os sentimentos bons deveriam ser estimulados e considerados como virtudes, ao passo que os sentimentos maus deveriam ser reprimidos e considerados como pecados.

Essa estranha maneira de rotular os sentimentos acabou influenciando as pessoas, de tal maneira que ao emitir qualquer comportamento atrelado aos ditos sentimentos maus, a pessoa passa a se sentir indignada e culpada. Por isso, os sentimentos ganharam um valor moral e o valor essencial foi se perdendo do próprio sentimento humano. Esse rótulo moral, agregado ao sentimento, passou a definir e a qualificar o próprio sentimento, e perdeu-se a noção da função básica destes sentimentos dentro da vivência e da sobrevivência da espécie humana.

Convém enfatizar que todos os sentimentos são humanos e têm sua função na vida das pessoas. O fundamental é que estes sentimentos, tanto os rotulados como bons quanto os rotulados como maus, devem ser adequadamente administrados. Todos os sentimentos, bons ou maus, que não forem bem administrados, podem ser prejudiciais à saúde da pessoa.

Alguns exemplos de sentimentos rotulados como maus e bons:

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Sentimento de autoproteção. Se o indivíduo não cuidar de seus próprios interesses ele acaba sendo espoliado.

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Sentimento de autoproteção. Se o indivíduo não cuidar de seus bens materiais e ter um controle sobre eles, acaba sendo espoliado.

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Sentimento ligado ao respeito. Se o indivíduo não dá o troco quando é agredido, ele acaba sendo invadido e desrespeitado. "Só se respeita cachorro que morde".

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Sentimento ligado à busca pelo sucesso e de ser bem-sucedido na luta para conseguir seus objetivos; ter "garra" na vida.

Valor Moral.: Muitas Vezes Negativo

Valor Essencial.: Ligado à  autoestima. É necessário se gostar e se admirar para se autovalorizar.

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Ligado à capacidade política. A política é a arte de identificar e conjugar interesses. Para ser bem-sucedido, numa comunidade, é necessário ter capacidade política, traçar e escolher as alianças.

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Sentimento ligado à liderança. O chefe, o líder, o rei, o presidente, precisam se impor para serem merecedores de crédito e para o exercício do poder.

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Sentimento ligado à funções construtivas. É o zelo, o cuidado com os objetos e com as pessoas amadas. É o cuidado de manter e preservar as relações.

Valor Moral.: Bom

Valor Essencial.: Sentimento do pudor, é ligado à adequação social. Não fazer ou apresentar coisas que desabonem.

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Sentimento ligado ao desejo de igualdade e de justiça. Quero ter a mesma coisa que o outro tem.

Valor Moral.: Bom

Valor Essencial.: Sentimento ligado ao aprendizado. O indivíduo quer copiar e imitar a quem ele admira.

Valor Moral.: Mau

Valor Essencial.: Sentimento ligado ao inconformismo com as discrepâncias e com as injustiças. A carga destrutiva da inveja é dirigida ao sentimento de alegria ou satisfação que o outro teria possuído algo ou algum tipo de privilégio que o invejoso não tem.

 

Lembremos que quaisquer desses sentimentos (bons ou maus) não são patológicos pelo seu valor essencial. Ele pode se tornar patológico e necessitar de procedimento psicoterápico, uma vez que o conflito resultante entre o Valor Moral e o Valor Essencial não foi bem administrado. 

Os sentimentos se tornam patológicos quando entram em conflito o seu Valor Moral com o seu Valor Essencial. Dessa forma é fundamental para a saúde mental que a pessoa administre, utilizando o seu bom-senso e o seu senso de adequação, o conflito entre o Valor Moral e o Valor Essencial dos seus sentimentos e condutas a ele vinculadas.

 

Um forte abraço a todos, até o próximo texto….

 

Palavras-chaves.: Sentimentos; Tratamento; Psicodinâmica; Valor Moral; Valor Essencial; Psicopatologias.

Leia Tambem

Escrito por Simone Souza

Publicado em 2021-11-15

Tags

Psicologia

Sugerimos que você também leia estes