EMDR e Neurociências

Vencendo Traumas Emocionais para Ser Criativo na Pandemia

O humano possui poderes de sobrevoos amplos, idealizados por suas exigências pessoais e interpessoais. Suas capacidades de realizações transcendem aos limites da imaginação dos seres dos séculos anteriores.

No entanto, este ser que por uns é considerado um semi deus teve possibilidade de reconhecer sua finitude diante da crise pandêmica. Enquanto projetava, inventava, fornecia, ambicionava e mobilizava seus desejos em rapidez, surpreendentemente surgiu uma pandemia mundial.

Reagimos a este acontecimento com isolamento social envolvido pelos cuidados pessoais e interpessoais. Situações emergenciais foram elaboradas e implantadas com critérios protetivos a prevenção à vida

O cérebro humano reage divergentemente aos acontecimentos diários. Sujeitos tem critérios de enfrentamentos diferenciados, algumas vezes baseados em suas histórias de vida. Sabe-se que eventos estressores que surgem cedo na vida como abuso infantil ou violência podem impactar negativamente o cérebro.

De forma que a cognição e o comportamento podem ser afetados podendo até produzir doenças psiquiátricas. Diante dos informes científicos, podemos compreender que os acontecimentos traumáticos outroras ou recentes obtém o poder de aprisionar indivíduos. 

“O trauma é uma resposta do sistema nervoso e não tem origem no evento, diz Peter    Levine.  Freud  informou que o trauma é uma barreira protetora contra a superestimulação acarretando sentimentos avassaladores de impotência. Podendo ser visto também como um estado de severo medo, que vivenciamos quando somos confrontados com um evento repentino e inesperado, potencialmente ameaçador à vida, sobre o qual não temos nenhum controle. 

Então, indivíduos diante da crise podem ser perseguidos por crenças limitantes, como “- Não posso”, “-Não consigo”, Não venço” ou outras similares, impossibilitando a expansão criativa do ser. É óbvio que nesta pandemia urge novas possibilidades de existir. Exige-se mentes libertas para reagir ao caos, oriundo de um mundo que parou. Portanto, cérebro cuidado possibilita ações eficazes.

Os neurônios sendo o elemento estrutural fundamental na construção e desenvolvimento mental necessitam criar novas conexões e serem cuidados para funcionarem positivamente em situações emergenciais. Informa um estudo, publicado na Revista Veja, que no cérebro tem uma “área de trabalho mental” e que uma rede de neurônios trabalha com imagens, símbolos  e teorias, além de permitir o foco  mental necessário para resolver e ter novas idéias.

O EMDR conectado a Neurociência produz no cérebro um verdadeiro metabolismo de funcionalidade de saúde emocional. 

Os estímulos bilaterais visuais, tátil ou auditivo produzem uma reação positiva nos hemisférios direito e esquerdo no cérebro. As imagens disfuncionais dos conteúdos dos eventos diários que não puderam ser processadas naturalmente no sono REM serão diluídas, dessensibilizadas em seu aspecto eletroquímico e serão processadas e armazenadas na memória de longo prazo, sem conteúdo perturbador. Assim sendo, o que deveria estar no passado, depois da dessensibilização e reprocessamento fluirá para seu “arquivo”, não possuindo mais poder perturbador na mente humana.

Pessoas criativas inclinam-se  a inovações, suas idéias primitivas resolvem problemas em meio às situações caóticas.  Perante as questões emergentes elas apresentam soluções a fenômenos percebidos; pois cérebro trabalhado aflora em otimismo e esperança de melhores dias            

É evidente que o ser humano potencialmente saudável pode desfrutar da capacidade cerebral de ser criativo, independentemente das circunstâncias provindas do meio. É possível dizer que a criatividade pode ser conceituada como um conjunto de capacidades que permitem uma pessoa comportar-se de modos novos e adaptativos em determinados contextos. É necessário ser compreendida e desejada, precisamos saber como e quando devemos usá-la. A produção de coisas e conhecimentos novos diverge da inteligência que pode ser vista como a aptidão de raciocinar e aprender. Pessoas tratadas são inclinadas ao relaxamento saudável. De acordo com a neurociência, o momento criativo surge quando o cérebro está descontraído; o dormir, o lazer e a descontração são vitais para os insights. Na atualidade,  o poder criativo  deve ser presente nos desejos dos sujeitos e Inteligência emocional para as grandes execuções em um mundo novo.

 

Referências Bibliográficas

 

FRANCO, Alfred Sholl.  Ciências & Cognição Reflexões sobre o conceito de criatividade: sua relação com a biologia de conhecer . v. 14 n. 3 Rio de Janeiro Nov 2009 

 

GRAND, David. Cura Emocional em Velocidade Máxima.Brasília: EMDR Treinamento e Consultoria Ltda. 2013.

 

Mouchiroud, C. e Lubard, T (2002). Soia creativit: A cross-sectional study of 6-to 11- yearold nchidren. Int. J. Behav. Develop., 26 (1), 60-110). New York:  Atherton. { Links}

 

Veja, atualizado em 6 de maio 2016, 16h17- publicado em 17 set 2013, 13h55

Leia Tambem

Escrito por Débora Pereira do Nascimento

Publicado em

Tags

Psicologia

Sugerimos que você também leia estes