Conhecendo os 4 R'S da vida

Quando trabalhamos com seres humanos, principalmente na área de terapias e assistência, é primordial que tenhamos em mente a singularidade do ser, pois só a partir dessa percepção é que podemos ter êxito na trajetória. Cada pessoa é única, cada momento é único, cada sentimento é único, assim como as reações, as percepções e os impactos gerados em cada situação vivenciada. Precisamos respeitar isso, uma vez que só quem poderá identificar e mensurar o tamanho do seu trauma, é este ser humano que vivenciou e que sintetizou essa situação. Cabe ao terapeuta apenas facilitar este processo de reconhecimento e de autorresponsabilidade. 

Nesse sentido, apresentamos a seguir uma linha de atuação que busca despertar o autoconhecimento e o autodesenvolvimento dos pacientes/interagentes, trazendo a discussão sobre o conceito dos 4 R’s da vida (rotina, ritmo, ritual e reavaliação), que impactam diretamente nessa percepção e na forma como esse  sujeito vai conduzir a sua jornada. 

ROTINA

Quando falamos em rotina, não estamos falando em processos repetitivos, metódicos e “chatos", com os quais não conseguimos nos enquadrar, mas de organização e planejamento daquilo que queremos desenvolver e precisamos fazer acontecer. Faz parte do instinto de sobrevivência dos seres humanos, uma vez que traz segurança, permite que saibamos o que vai acontecer no nosso dia e nos prepara melhor para minimizar os imprevistos. Essa rotina precisa fazer sentido para o sujeito, por isso mesmo, ele deve ser o principal ator dessa definição. 

RITMO

Diferente da rotina, que conseguimos escolher, o ritmo é um processo natural nos seres humanos. É o ritmo que permite que o nosso corpo dê sinais de cansaço, de alegria, de ansiedade e de serenidade frente aos acontecimentos do dia a dia. Assim como não temos controle sobre o dia e a noite, também não controlamos, ou não temos facilidade em controlar, o ritmo do nosso organismo, portanto é imprescindível que tenhamos respeito, buscando conectar e adaptar a cadência das nossas ações às necessidades do nosso organismo e da nossa rotina.

RITUAL

Cada ação em si torna-se um ritual e de forma ritmada compõe a nossa rotina, portanto, os rituais são fundamentais para manter a saúde do ser humano. Existem diversos tipos de rituais, o que faz sentido para um, pode não fazer para outro e, assim sendo, mais uma vez este é um processo subjetivo, cada pessoa precisa definir quais rituais fazem mais sentido na sua vida e no seu momento. Podemos ter rituais que duram uma vida toda, assim como podemos desenvolver rituais para momentos específicos, que é o caso dos traumas, onde podemos desenvolver um ritual de ressignificação, criando novas sinapses e novas crenças perante as situações enfrentadas.

REAVALIAÇÃO

Como dito anteriormente, esse processo de autoconhecimento e autodesenvolvimento é bastante individual e depende de um monitoramento frequente, pois só assim é possível recalcular as necessidades e se readaptar às situações que estão causando algum desconforto. 

Por fim, esse círculo virtuoso que envolve os 4 R's, além do trabalho com traumas momentâneos, trata-se de um processo que busca o desenvolvimento, para que esse ser único consiga identificar seus sentimentos, suas emoções e as reações que elas causam, com a finalidade de se antecipar e/ou minimizar possíveis impactos perante os desafios da vida.

 

Palavras-chaves: Rotina. Ritmo. Ritual. Reavaliação

Leia Tambem

Escrito por Lisielen Miranda Goulart e Luana Miranda Goulart (Unique)

Publicado em 2021-09-15

Tags

Psicologia

Sugerimos que você também leia estes