Trauma e Saúde Mental

A importância de se cuidar

Pensando na correlação de um tema com o outro, num primeiro momento podemos imaginar que uma vez que alguém passa por uma situação traumática, alguma mudança em seu estado emocional ocorrerá e a intensidade do sofrimento será a mesma para todos que passam por ela. Isso no entanto, nem sempre é verdadeiro. 

Cada um de nós tem uma maneira de lidar com as adversidades que a vida oferece. Imagine um grupo de pessoas que passaram por um momento difícil, por ex: indivíduos de uma família, que perderam um ente querido agora na pandemia do novo Corona Vírus, isso já não é mais novidade, certo? No entanto, para alguns familiares a superação dessa perda será mais tranquila, enquanto que para outros, será mais dolorosa com uma recuperação mais demorada.

Desde o início deste ano, quando as primeiras notícias surgiram, e que inclusive falavam do quanto letal esse vírus poderia ser, muitas pessoas passaram a encarar essas notícias de modo mais cauteloso e com seriedade, evitando assim, a propagação e a contaminação pelo COVID-19 e as consequências que esse tal vírus pudesse ocasionar. 

Por outro lado, também percebemos um certo descuido e uma negação dessa situação ameaçadora, por outras pessoas. Que ruim isso não é? Muitas dúvidas surgiram: Será que isso é verdadeiro mesmo ou teria alguém querendo manipular informações e controlar nossas vidas? Mesmo porque não enxergo o vírus, não posso pegar com as mãos e avaliar se ele está perto de mim ou não. Enfim, cada postura que adotamos diante das circunstâncias da vida, tem a ver com nossas crenças, nosso aprendizado e experiências passadas que se acumularam desde a infância até o momento.

Com o passar dos meses, constatamos sim, um número grande de pessoas que morreram e foram contaminadas pelo Coronavírus, mas ainda assim, existe uma maneira de encarar e lidar com os fatos e de perceber o impacto disso sobre as nossas vidas de modo diferente. O sofrimento sentido por uma pessoa não é o mesmo vivenciado por outra, mesmo estando na mesma família. Depende muito da história de vida de cada um de nós, e da maneira como a percebemos e lidamos com os eventos do dia a dia e principalmente com os eventos traumáticos (como no caso aqui citado, perda de pessoas queridas pelo COVID-19), que chegam sem pedir licença e normalmente trazem consequências muito negativas, que afetam nossa saúde mental.

Os eventos traumáticos percebidos mais facilmente, são aqueles que chocam pelo seu caráter trágico, como por ex: um assalto, um acidente de carro, a perda de um ente querido repentinamente sem doença prévia que justificasse a sua morte, situações de agressões físicas, verbais ou sexuais (estupro), mas também podem ocorrer de maneira mais encoberta e desde muito cedo nas nossas vidas, por meio de interações negativas com a família, professores, amigos ou colegas, que deixam marcas emocionais e que ficam registradas em nossa memória, provocando dores que podem persistir por muitos anos.

Como consequência disso, as pessoas podem desenvolver pensamentos ruins e negativos sobre si mesma e sobre os outros, apresentar medos, sentimento de impotência e agitação, deixar de acreditar em si, se desmotivar, ter crises de ansiedade, muitas vezes sem causa aparente, mas que atrapalham e muito nas suas atividades do cotidiano. Pode-se perceber também episódios ou períodos mais longos de tristeza profunda, que insistem em permanecer, podendo assim, evoluir para um quadro depressivo.

Ninguém gosta de sofrer, de perder o controle sobre suas emoções, de parecer frágil, de ser julgado por estar assim, e por isso passam muitas vezes a omitir seu sofrimento com vergonha em pedir ajuda. Nada disso é fácil de ser enfrentado, e demanda ajuda profissional e tratamento. 

Penso que saúde mental é tudo nessa vida, e são várias as patologias (doenças mentais) que podem ser desenvolvidas após a vivência de um evento traumático. Não importa quantas e nem quais sejam essas patologias, o que importa, é você perceber que não são situações fáceis de se lidar, que cada um reage de modo diferente a uma determinada situação,  e que quando algo ruim e traumático acontece na vida da gente, é preciso cuidar! 

Devemos sempre ficar atentos para nossas necessidades básicas, ter respeito por elas, observar se estão havendo alterações na nossa maneira de pensar, agir, sentir e de se relacionar com o outro independente do ambiente no qual estamos inseridos. 

Cuide-se e observe:

Quem dera, todos nós tivéssemos a mesma capacidade de lidar com situações inusitadas da vida, que abalam nosso emocional, e pudéssemos nos restabelecer num período de tempo mais curto, e retomar nossas atividades diárias, como o trabalho, um convívio familiar e social mais satisfatórios. Se você não faz parte desse grupo, precisa então parar e olhar para si de forma mais amorosa e cuidadosa, para poder voltar a viver melhor. Sim, acredite nisso! E você não está sozinho!

Mariana Vieira Cintra

Psicóloga Clínica, Terapeuta EMDR, Mestre em Ciências, Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Psicóloga Hospitalar

CRP: 06/51497 

Leia Tambem

Escrito por Mariana Vieira Cintra

Publicado em 04/03/2021

Tags

Psicologia

Sugerimos que você também leia estes