4 passos para cuidar da sua saúde emocional

No meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho(...)”

 

Escreveu o poeta Carlos Drummond de Andrade que foi muito criticado na época, por cometer um erro considerado grave pela gramática normativa, pois o correto é “havia uma pedra.” Mas a poesia pode desconsiderar regras, provocar reflexão, trazer desconforto… nos fazer parar “no meio do caminho.” 

 

A pandemia fez isso de modo intenso, provocou “um deslizamento de pedras”: o isolamento social, a escola em casa, o trabalho em casa,  o lazer em casa, tudo… em casa. Algo impensável em pleno século 21.No início, um estado de alerta para saber o que estava acontecendo, pois as notícias  que chegavam de outros países não eram nem um pouco animadoras: mortes, muitos doentes, hospitais e profissionais sobrecarregados, fronteiras fechadas,  uma percepção de risco elevada. 

 

Uma realidade muito diferente se impôs para preservar a vida. Projetos precisaram ser interrompidos e adequar os espaços das casas para atender as mais diversas atividades e necessidades, a convivência 24 horas, trouxeram o stress para os relacionamentos.  O tempo foi passando fomos nos adaptando com muito álcool em gel, uso de máscara e tudo o que você já sabe.  Cansamos da pandemia? Muitos diriam que sim. Eu sinto muito dizer, mas aí mora o perigo. 

 

A realidade é que o cérebro se cansa e nossa percepção de risco fica reduzida, na medida em que as regras de restrição e mobilidade vão sendo afrouxadas. Cuidar bem de nós não significa apenas manter o espaço físico limpo e higienizado e o corpo sem doenças. Estudos revelam que o isolamento social em si, não adoece.  Entretanto, a falta de habilidades emocionais e sociais, compromete a saúde como um todo. A boa notícia é que podemos desenvolvê-las começando com apenas quatro passos*:

 

Passo 1: Identifique e acolha seus sentimentos, eles são naturais e não escolhemos o que sentir. Por exemplo: em uma partida de futebol, na final de um campeonato, se o time “A” faz um gol no time “B”, automaticamente, a torcida do time “A” sente alegria/euforia e a torcida do time “B” sente tristeza/raiva;

Passo 2: Pense em algo que possa fazer para se sentir melhor que não faça mal a você nem a ninguém, como tomar um copo d’água, ouvir uma música,  assistir a um filme, ler um livro, tomar um banho… Ah! Você pode até fazer uma lista, pois na hora que o sentimento vem, às vezes, fica difícil pensar com clareza; 

Passo 3: Diga o que está sentindo para alguém: “Eu estou triste”, “Eu estou irritado”, “Eu estou ansioso” e o motivo de estar se sentindo assim. Lembre-se de dizer com respeito;

Passo 4: Peça ajuda para alguém em quem você confia.

 

Dica extra: Convide as pessoas do seu convívio a fazer a lista que está no passo 2 e deixe num lugar visível para todos. As crianças se divertem. Experimente. 

 

Dias atrás, uma amiga me disse: “no começo era estranho ver as pessoas com máscaras. Hoje, estranho é ver alguém sem máscara.” Nosso cérebro aprecia aprender para nos proteger. Agora preste atenção, depois que a pandemia passar (e ela vai passar!) ainda assim, é certo que vamos encontrar, vez ou outra, “uma pedra no meio do caminho”

Então, não se esqueça: cuide bem de você... dos seus sentimentos… Sempre!  

 

Por Sizumi Suzuki

(*) Referência: https://movimentosaberlidar.org.br/

Leia Tambem

Escrito por Sizumi Claudia Sato Suzuki

Publicado em

Tags

Psicologia

Sugerimos que você também leia estes